Famup leva lutas importantes para Brasília e reforça parceria com bancada federal no Congresso

Por Múltipla - em 89

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) teve um papel importante nas lutas municipalistas nos últimos anos, adotando um trabalho em equipe e em parceria com os prefeitos. Um dos pontos fundamentais destacados na gestão de George Coelho foi o resgate da parceria com a bancada federal paraibana no Congresso, com uma atuação sempre próxima dos senadores e deputados federais, além da luta encampada ao lado da Federação Nacional de Municípios (CNM) que garantiram vitórias importantes para o municipalismo brasileiro.

Entre as lutas levadas da Paraíba para Brasília pela Famup está a Lei 14.039/2020, publicada no Diário Oficial da União (DOU), que altera a Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994 (Estatuto da OAB), e o Decreto-Lei nº 9.295, de 27 de maio de 1946, para dispor sobre a natureza técnica e singular dos serviços prestados por advogados e por profissionais de contabilidade, garantindo a legalidade da contratação de advogados e contadores pelos municípios. A defesa nasceu no estado em parceria com os gestores e com associações, a exemplo da Associação Paraibana de Advocacia Municipalista (Apam) e da OAB-PB.

A Federação, sob a liderança de George Coelho, também encampou diversas lutas e mobilizações em defesa do municipalismo como a defesa pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 98/2019 – que trata dos recursos da cessão onerosa do pré-sal e inclusão de municípios na Reforma da Previdência. Também partiu da Paraíba a conquista do 0,5% referente ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM) no ano passado.

Outra ação adotada pela Famup trata sobre a defesa do novo código tributário em parceria com a CNM e da bancada federal paraibana. Esta semana, o presidente George Coelho chegou a se reunir com a Coordenação Executiva do Fórum Permanente de Administradores Tributários (FPAT) para discutir o tema.

A Famup e a FPAT devem conduzir um trabalho junto a Confederação Nacional de Municípios (CNM), no sentido de uma participação ativa no Comitê Nacional que vai representar os municípios na gestão do ISS com a nova regra de tributação complementada pela Lei 175/20 que mudou a sistemática de tributação em razão do local de cobrança e dos serviços de cartão de crédito, administradoras de saúde e outras atividades. Existe uma representação em cada uma das cinco regiões do país e o objetivo é garantir uma indicação local para fazer parte do Comitê.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support