Presidente da Famup participa de reunião com Aguinaldo Ribeiro e Rodrigo Maia para debater Reforma Tributária

Por Múltipla - em 111

O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, participou, nesta sexta-feira (14), de reunião do Conselho Político da Confederação Nacional de Municípios (CNM) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Baleia Rossi (MDB-SP) e Silvio Costa Filho (Republicanos-PE) para debater a Reforma Tributária.

George Coelho destacou que o movimento municipalista vem se mobilizando para que a Reforma Tributária seja justa e não acabe prejudicando a parte mais frágil entre os entes federativos. Entre as reivindicações estão: garantir maior participação dos entes locais no bolo tributário e que não haja perdas aos Municípios; aperfeiçoar a tributação sobre o patrimônio; e promover a segurança jurídica e simplificação do Sistema Tributário Nacional.

O presidente da CNM, Glademir Aroldi, abriu a reunião destacando a importância da pauta para os Municípios e a necessidade de estarem alinhados para garantir a aprovação de um projeto que não traga perdas aos Municípios e que possibilite benefícios reais à população brasileira. “Esse encontro de hoje é muito importante. Sei que estamos focados no encerramento de mandato e nos recursos para que a gente possa vencer todos os desafios que a gente está enfrentando. Mas precisamos também estar presentes, e ser protagonistas, na discussão da Reforma Tributária, que está ganhando força no Congresso Nacional. Essa é uma pauta estruturante, que vai impactar todos os setores da sociedade brasileira”, destacou Aroldi.

Segundo a CNM, não é possível um Sistema Tributário com 48 mil páginas e que os brasileiros não entendemos e que o investidor externo, quando se depara com um sistema como o nosso, acaba fugindo. A Reforma, segundo a entidade, deve provocar a simplificação e a segurança jurídica que vão possibilitar a retomada da economia, trazendo o aumento do PIB [Produto Interno Bruto] nacional e o aumento da arrecadação da União, dos Estados e dos Municípios. Também será conseqüência dessa mudança a geração de emprego e renda.

Responsabilidades municipais – A quantidade de atribuições que os entes locais assumiram sem as devidas contrapartidas foi reforçada pelos presidentes das entidades estaduais. Eles também destacaram a necessidade do debate e de dar mais transparência ao Sistema Tributário Nacional.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support