- FAMUP - http://www.famup.com.br -

Bom inverno: Município tem safra recorde de arroz da terra este ano

A região de Sousa, no Sertão desponta como grande produtora de arroz vermelho, comercializado por grandes redes de supermercados na Paraíba e outros estados, num trabalho acompanhado há mais de três décadas pela Emater. O arroz vermelho produzido na Paraíba tem atraído a atenção do mercado nacional.

No município de Sousa, o agricultor Paulo Sérgio da Silva colheu neste ano uma safra de 132 toneladas de arroz vermelho em casca, e somando toda a produção das 15 famílias residentes na Comunidade Abreu, onde ele também reside, totaliza 246 toneladas colhidas. De acordo com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater), integrante da Gestão Unificada vinculada à Sedap, o número representa o dobro da safra de 2016.

O coordenador regional da Emater em Sousa, Francisco de Assis Bernardino, disse que a assistência técnica levada aos produtores de arroz tem garantido boa safra. O coordenador também lembrou que a região tem um grande potencial para o cultivo desse grão.

A comercialização da produção de arroz é feita em parceria com um empresário de Riacho dos Cavalos, na região de Catolé do Rocha, cidade onde o produto é beneficiado e vendido. Uma parte vai para rede de supermercado do Carrefour, sendo que o restante destina-se ao mercado de São Paulo, ficando uma boa quantidade para abastecer cidades paraibanas e do Rio Grande do Norte.

O agricultor Paulo Sérgio se tornou o maior produtor de arroz vermelho em Sousa. Sua plantação fica às margens do Rio do Peixe, local que facilita a irrigação em período de chuvas irregulares. “Eu comecei a plantar, fiz a primeira colheita de arroz e deu certo. Plantei a segunda e fui fazendo por etapa. Plantamos neste ano cerca de 25 hectares, mas somando a família, são 50 hectares”, comentou o agricultor. Para o próximo ano, a meta dele é dobrar a produção, com investimento em máquinas agrícolas.

De acordo com o técnico José Marques, da Emater, a produção na propriedade pode aumentar. “Recebendo as águas da época do inverno, com a precipitação que caiu, e com a irregularidade das chuvas neste ano, ele aproveitou a água do rio, colocando as bombas e fazendo a irrigação. Ele está tirando em torno de 5 mil quilos de arroz por hectare. Com um trabalho feito dentro do controle normal de irrigação, pode tirar até 7 mil quilos, porque ele tem um solo de qualidade”, explicou. O trabalho é monitorado pelo extensionista Gervásio Francisco Vieira.

[1]