- FAMUP - http://www.famup.com.br -

Racionamento em CG e mais 18 cidades da PB deverá acabar na primeira quinzena de agosto

O presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), João Fernandes, em entrevista ao Blog do Gordinho nesta terça-feira (25), afirma que até a primeira quinzena do próximo mês o racionamento de água acabará em Campina Grande e nos outros 18 municípios abastecidos pelo Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão). A previsão era para que o abastecimento nas 19 cidades fosse regularizado ate 1º de agosto, porém devido a diminuição da vazão em Monteiro [1], a população deverá esperar mais algumas semanas para ter água todos os dias em suas casas.

Leia também: Aesa prevê céu nublado e chuvas esparsas no Litoral nesta quarta-feira [2]

“Aos campinenses digo que fiquem tranquilos, nossa expectativa é que o racionamento acabe na segunda semana do próximo mês. Era para ser no início de agosto, mas nós estamos dependendo do aumento do volume de bombeamento. Porque, só está sendo bombeado 4,8 metros por segundo da estação elevatória 6, só uma bomba dessa estação está funcionando. Com isso reduziu para metade a oferta que a gente estava recebendo em Boqueirão,  que era de 7,6m³/s e agora varia de 3,57 a 3,8m³/s”, ressalta Fernandes.

Segundo João, as manutenções nos canais do Eixo Leste, em que ocorreu vazamentos das águas transposição do Rio São Francisco, estão sendo realizadas dentro do prazo previsto. “O ministério prometeu de 30 a 40 dias, para fazer toda a manutenção de todos os equipamentos, para evitar problemas mais sérios. Então, quando terminar a manutenção a vazão voltará ao normal nos primeiros 15 dias de agosto”.

De acordo com as medições da Aesa, faltam apenas 0,6% para que o Açude de Boqueirão chegue ao volume esperado para acabar com o racionamento. “Hoje, o volume do açude está em 31,191 milhões de metros cúbicos, o equivalente a 7,6% de seu volume total, mas para regularizar o abastecimento das 19 cidades é preciso que chegue a 33 milhões de metros cúbicos. Falta pouco para Campina estar livre de tudo. Agora, se der uma chuva boa, a gente pode acabar com o racionamento antes”, explicou João.

[3]