Secretários participam de assembleia no Sindicato e reajuste do magistério supera três anos da gestão anterior

Por - em 876

A secretária de Finanças Danielle Aranha e o seu secretário adjunto Leandson Verissimo participaram, na manhã dessa terça-feira (21), da assembleia extraordinária do Sindicato dos Servidores do Município de Mamanguape – SINSERMAM, com o objetivo de fechar um acordo para reajuste da categoria do magistério. Também participaram, o secretário de Educação, Gerailton Santos e seu adjunto Max Lopes, além do presidente da entidade, o professor Tarcísio Teixeira e professores da rede municipal de ensino.

Os auxiliares da Gestão Municipal abriram a folha de pagamento para que todos os presentes tivessem acesso as informações financeiras, quadro atual e perspectiva de repasses deste ano. Foi feita análise do quadro demonstrativo, contendo todos os professores da rede (380) e foi constatado que o município não possui capacidade financeira para cumprir o PCCR da categoria, porém, a gestão se propôs a valorizar ao máximo a categoria, aplicando, como dados atualizados, cerca de 90% do repasse do FUNDEB apenas para pagamento do magistério da rede municipal.

Houve uma apresentação com a precisão do repasse do FUNDEB para o município dos anos de 2016 e 2017, ficando clara uma queda do repasse do fundo, devido à redução de 309 alunos na rede municipal no período de 2015 para 2016. Este ano a gestão deverá receber aproximadamente R$ 4 milhões menos do que foi percebido em 2016.

Em acordo fechado entre a gestão municipal e a categoria o reajuste foi dado de forma linear, contemplando todos os níveis da categoria, havendo oscilação no percentual. A atual gestão também reafirmou seu compromisso em lutar pelo pagamento do terço de férias, além dos repasses obrigatórios (patronais e do servidor), como INSS, que foram negligenciados pela gestão passada.

Para o presidente do SINSERMAM, professor Tarcísio, disse da importância da presença dos auxiliares da gestão para fazer uma amostra dos números (recursos). “Muitas perguntas foram feitas e muitas dúvidas foram tiradas. Este é o trabalho que deve ser construído com a categoria, e essa decisão foi tomada em conjunto”, acrescentou.

Tarcísio lembrou que no passado não havia diálogo entre a gestão municipal, o sindicato e categoria. “Não haviam discussões com este objetivo no passado. Se o próprio professor não deveria ter baixado a cabeça. Temos consciência que erramos, mas temos esperança de que a relação e o entendimento seja prospero no futuro”, disse o presidente.

O secretário Gerailton Santos fez uma análise positiva da reunião no aspecto do entendimento com a categoria. Lembrou que todos os professores, orientação da prefeita Eunice Pessoa, já recebem desde janeiro o salário dentro do piso estabelecido pelo Governo Federal. “Vamos valorizar o magistério, reconhecendo as limitações da gestão. Mas saímos todos satisfeitos, partindo do princípio de que foi acatada a decisão da categoria”, destacou.