Picuí-PB


Razão Social
PREFEITURA MUNICIPAL DE PICUÍ

Endereço
R. Antônio Firmino, 348 - Monte Santo - CEP.: 58.187-000 - Picuí-PB

Site
www.picui.pb.gov.br

Prefeito
OLIVANIO DANTAS REMIGIO - PT

Telefones
|  (83) 3371-2189  |   (83) 3371-2380  |   (83) 3371-2210  |   (83) 3371-2374  |  

Emails
|  prefeiturapicuigab@hotmail.com  |   seduc.picui@gmail.com  |  
InterserverCoupons
Dados do município
Código Siafi 982129
Associação AMSEC
Mesorregião Borborema
Microrregião Seridó Oriental
Área 730.92 km²
Distância da Capital 244.10 km
Limites Limita-se com o Estado do Rio Grande do Norte e com os municípios de Nova Palmeira ´17 km`, Pedra Lavrada ´27 km`, Baraúna ´13 km`, Cuité ´23 km`, Nova Floresta ´20 km` e Frei Martinho ´22 km`. km
Data de Emancipação 1904-03-18
História """Em 26 de dezembro de 1704, Dona Isabel Câmara, o Capitão Antônio Mendonça Machado, o Alferes Pedro de Mendonça Vasconcelos e o senhor Antonio de Carvalho, receberam uma sesmaria de 3 léguas de terras, próximas ao riacho que era chamado pelos nativos de Pucuhy. Daí, acredita-se que as primeiras ações para a colonização ocorreram entre o final do século XVII e início do século XVIII. No local onde hoje encontra-se a igreja matriz, ficava o curral de gado da fazenda de Lázaro José Estrela. Este havia cavado uma cacimba na confluência dos rios das Várzeas e do Pedro, e, nos períodos de estiagem, abastecia os moradores das adjacências. Essa cacimba era bastante freqüentada por uma espécie de pomba, conhecida como Pucuhy, que em suas águas saciavam a sede. Por esta razão, o local passou a ser chamado de Pucuhy. Posteriormente o nome foi mudado para Picuhy - uma palavra composta, unindo Pico ´da serra Malacacheta` ao hipsilon ´Y`, forma da confluência dos dois rios. Na nova ortografia, o nome passou a ser escrito Picuí. As explorações daí decorrentes, ao que parece, tiveram como saldo apenas a implantação de algumas fazendas de gado. Entre 1750 e 1760, novas correntes de povoamento se registraram, com a aquisição de algumas propriedades, que tinham sido instaladas pelos primitivos. O povoamento inicial da região, ocorreu onde hoje se encontra o município de Pedra Lavrada, tendo sido construída a primeira capela em 1760. Em 1856, uma terrível epidemia de cólera-morbo assolou o Estado da Paraíba e os moradores do novo povoado, resolveram em promessa, edificar uma nova capela em louvor a São Sebastião, na esperança e na fé da intervenção do glorioso mártir, para dizimar aquele mal. Conforme a história contada pelos mais antigos, a partir daquela época, não houve mais mortes provocadas pela epidemia. A idéia da promessa, segundo consta, partiu do conhecido coronel José Ferreira de Macedo. No mesmo ano, foi construída a capela ´local onde hoje está edificada a igreja matriz da cidade` e, em seu redor, nasceu e floresceu a nova povoação, antes denominada de São Sebastião e depois acrescida da palavra Triunfo, em homenagem à vitória do Brasil na guerra do Paraguai. A capela foi concluída em 1857, tendo sido celebrada a primeira missa no dia 03 de setembro, pelo Padre Francisco de Holanda Chacon, vindo da cidade de Areia. O Coronel José Ferreira de Macedo, além da promessa, teve também a iniciativa de construir a capelinha de São Sebastião, assumindo a administração da obra até a sua conclusão, angariando donativos entre os habitantes do lugar, com grande participação da população nas tarefas de transporte dos materiais até o local da construção. A primeira casa residencial do povoado foi construída por ele, instalando no prédio o primeiro estabelecimento comercial, chamado ´a venda grande´. Ele ocupou o cargo de fiscal e, com o seu prestígio, conseguiu trazer para o aglomerado o primeiro mestre-escola, o primeiro costureiro de roupas masculinas e o primeiro mestre de música. Dizem até que foi ele quem sugeriu o acréscimo de Triunfo ao nome de São Sebastião. Por isso, o Coronel José Ferreira de Macedo é considerado o autêntico fundador de Picuí. São citados também como pioneiros da fundação da vila: Antônio Ferreira de Macedo, Antônio Galdino da Luz, Felipe Néri de Macedo, Manoel Nunes de Macedo, Sebastião Ferreira e Antônio Garcia do Amaral, entre outros. Sua elevação a distrito, com a nova denominação de Picuí, data de 1871, pela Lei Provincial nº 440 de 18 de dezembro, como integrante do município de Cuité. Em 1888, a Lei Provincial nº 876 de 27 de novembro, deu-lhe a condição de vila. Seu progresso foi muito rápido, e em 1904, a Lei Estadual nº 212 de 29 de outubro, transferia a sede do município de Cuité para a nova vila de Picuí, instalada oficialmente a 24 do mês seguinte. Na divisão administrativa de 1911, o município estava dividido em quatro distritos: a sede, Cuité, Pedra Lavrada e Barra de Santa Rosa. A Lei Estadual nº 599 de 18 de março de 1924, deu-lhe foros de cidade, cujo município abrangia também os distritos de Nova Floresta, Cubati e Frei Martinho, além dos já existentes. Em 1936, através da Lei nº 99 de 18 de dezembro, foi efetivada a emancipação de Cuité. Com o desmembramento, Barra de Santa Rosa passou a pertencer ao novo município. Em 1959, foram emancipados os distritos de Pedra Lavrada, Nova Floresta e Cubati. O de Frei Martinho foi emancipado dois anos mais tarde. Em 1997, foi a vez do distrito de Baraúnas ser emancipado. Atualmente, o município de Picuí está formado por 2 distritos: o de Santa Luzia do Seridó e o de Serra dos Brandões."""
Clima De acordo com a classificação de Kopen, o clima de Picuí, é do tipo semi-árido ´bsh`, quente e seco,
Vegetação A vegetação nativa predominante no município é a Caatinga, do tipo arbustiva-arbórea, destacando-se a jurema, marmeleiro, mandacaru, xiquexique, facheiro, macambira, é árvores de pequeno porte como catingueira, umburana e juazeiro, etc.
Padroeira São Sebastião
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support