Picuí-PB


Razão Social
PREFEITURA MUNICIPAL DE PICUÍ

Endereço
R. Antônio Firmino, 348 - Monte Santo - CEP.: 58.187-000 - Picuí-PB

Site
www.picui.pb.gov.br

Prefeito
OLIVANIO DANTAS REMIGIO - PT

Telefones
|  (83) 3371-2189  |   (83) 3371-2380  |   (83) 3371-2210  |   (83) 3371-2374  |  

Emails
|  prefeiturapicuigab@hotmail.com  |   seduc.picui@gmail.com  |  
InterserverCoupons
Dados do município
Código Siafi 982129
Associação AMSEC
Mesorregião Borborema
Microrregião Seridó Oriental
Área 730.92 km²
Distância da Capital 244.10 km
Limites Limita-se com o Estado do Rio Grande do Norte e com os municípios de Nova Palmeira ´17 km`, Pedra Lavrada ´27 km`, Baraúna ´13 km`, Cuité ´23 km`, Nova Floresta ´20 km` e Frei Martinho ´22 km`. km
Data de Emancipação 1904-03-18
História """Em 26 de dezembro de 1704, Dona Isabel Câmara, o Capitão Antônio Mendonça Machado, o Alferes Pedro de Mendonça Vasconcelos e o senhor Antonio de Carvalho, receberam uma sesmaria de 3 léguas de terras, próximas ao riacho que era chamado pelos nativos de Pucuhy. Daí, acredita-se que as primeiras ações para a colonização ocorreram entre o final do século XVII e início do século XVIII. No local onde hoje encontra-se a igreja matriz, ficava o curral de gado da fazenda de Lázaro José Estrela. Este havia cavado uma cacimba na confluência dos rios das Várzeas e do Pedro, e, nos períodos de estiagem, abastecia os moradores das adjacências. Essa cacimba era bastante freqüentada por uma espécie de pomba, conhecida como Pucuhy, que em suas águas saciavam a sede. Por esta razão, o local passou a ser chamado de Pucuhy. Posteriormente o nome foi mudado para Picuhy - uma palavra composta, unindo Pico ´da serra Malacacheta` ao hipsilon ´Y`, forma da confluência dos dois rios. Na nova ortografia, o nome passou a ser escrito Picuí. As explorações daí decorrentes, ao que parece, tiveram como saldo apenas a implantação de algumas fazendas de gado. Entre 1750 e 1760, novas correntes de povoamento se registraram, com a aquisição de algumas propriedades, que tinham sido instaladas pelos primitivos. O povoamento inicial da região, ocorreu onde hoje se encontra o município de Pedra Lavrada, tendo sido construída a primeira capela em 1760. Em 1856, uma terrível epidemia de cólera-morbo assolou o Estado da Paraíba e os moradores do novo povoado, resolveram em promessa, edificar uma nova capela em louvor a São Sebastião, na esperança e na fé da intervenção do glorioso mártir, para dizimar aquele mal. Conforme a história contada pelos mais antigos, a partir daquela época, não houve mais mortes provocadas pela epidemia. A idéia da promessa, segundo consta, partiu do conhecido coronel José Ferreira de Macedo. No mesmo ano, foi construída a capela ´local onde hoje está edificada a igreja matriz da cidade` e, em seu redor, nasceu e floresceu a nova povoação, antes denominada de São Sebastião e depois acrescida da palavra Triunfo, em homenagem à vitória do Brasil na guerra do Paraguai. A capela foi concluída em 1857, tendo sido celebrada a primeira missa no dia 03 de setembro, pelo Padre Francisco de Holanda Chacon, vindo da cidade de Areia. O Coronel José Ferreira de Macedo, além da promessa, teve também a iniciativa de construir a capelinha de São Sebastião, assumindo a administração da obra até a sua conclusão, angariando donativos entre os habitantes do lugar, com grande participação da população nas tarefas de transporte dos materiais até o local da construção. A primeira casa residencial do povoado foi construída por ele, instalando no prédio o primeiro estabelecimento comercial, chamado ´a venda grande´. Ele ocupou o cargo de fiscal e, com o seu prestígio, conseguiu trazer para o aglomerado o primeiro mestre-escola, o primeiro costureiro de roupas masculinas e o primeiro mestre de música. Dizem até que foi ele quem sugeriu o acréscimo de Triunfo ao nome de São Sebastião. Por isso, o Coronel José Ferreira de Macedo é considerado o autêntico fundador de Picuí. São citados também como pioneiros da fundação da vila: Antônio Ferreira de Macedo, Antônio Galdino da Luz, Felipe Néri de Macedo, Manoel Nunes de Macedo, Sebastião Ferreira e Antônio Garcia do Amaral, entre outros. Sua elevação a distrito, com a nova denominação de Picuí, data de 1871, pela Lei Provincial nº 440 de 18 de dezembro, como integrante do município de Cuité. Em 1888, a Lei Provincial nº 876 de 27 de novembro, deu-lhe a condição de vila. Seu progresso foi muito rápido, e em 1904, a Lei Estadual nº 212 de 29 de outubro, transferia a sede do município de Cuité para a nova vila de Picuí, instalada oficialmente a 24 do mês seguinte. Na divisão administrativa de 1911, o município estava dividido em quatro distritos: a sede, Cuité, Pedra Lavrada e Barra de Santa Rosa. A Lei Estadual nº 599 de 18 de março de 1924, deu-lhe foros de cidade, cujo município abrangia também os distritos de Nova Floresta, Cubati e Frei Martinho, além dos já existentes. Em 1936, através da Lei nº 99 de 18 de dezembro, foi efetivada a emancipação de Cuité. Com o desmembramento, Barra de Santa Rosa passou a pertencer ao novo município. Em 1959, foram emancipados os distritos de Pedra Lavrada, Nova Floresta e Cubati. O de Frei Martinho foi emancipado dois anos mais tarde. Em 1997, foi a vez do distrito de Baraúnas ser emancipado. Atualmente, o município de Picuí está formado por 2 distritos: o de Santa Luzia do Seridó e o de Serra dos Brandões."""
Clima De acordo com a classificação de Kopen, o clima de Picuí, é do tipo semi-árido ´bsh`, quente e seco,
Vegetação A vegetação nativa predominante no município é a Caatinga, do tipo arbustiva-arbórea, destacando-se a jurema, marmeleiro, mandacaru, xiquexique, facheiro, macambira, é árvores de pequeno porte como catingueira, umburana e juazeiro, etc.
Padroeira São Sebastião